sábado, 12 de julho de 2008

LIMITES INÚTEIS


Não poder gritar ao mundo,
um amor que de tão perfeito,
é proibido,
é ter que calar o coração,
coração sufocado e ferido

Não poder assumir a realidade,
viver fingindo, se escondendo,
é ter que disfarçar o sentimento,
e fazer com que a felicidade
se torne um sofrimento.

Não poder seguir livremente,
tendo sempre que ocultar
nossas identidades,
é "sobreviver" num espaço limitado,
como se amar, fosse pecado...

Regina Azenha

Do livro Fragmentos & Mutações- 1997

Um comentário:

SONIA DA ROCHA LIMA disse...

Muito linda essa poesia também!
Afff...!!!Você arrasa,viu?
Sensibilidade tem você,amiga!!!
Parabéns!
Bjsss...milll...