sábado, 12 de julho de 2008

ONDE ESTÁS QUANDO TE PRECISO?


Nas horas em que preciso de um amigo,
para me ouvir e aconselhar,
é aí que me dou conta,
a solidão não tem par.

Nos momentos em que preciso de ti,
para me livrar do abismo,
defronto-me com a realidade,
és tu mesmo, o meu precipício.

Nos instantes em que imploro tua presença,
seja espiritual, ou física,
é que descubro como tua indiferença
me consome,
pois não encontro
nem o amigo, nem o homem...

Regina Azenha
Do livro Fragmentos & Mutações -dez.1997

3 comentários:

a verdadeescrita poesias disse...

Não tem como eu ler uma poesia dessas e não deixar nenhum comentário... Realmente parabéns!!!
Abraços!!!!!
Ass:averdadeescritapoesiasepoemas.blogspot.com
lucasescritor2poeta@hotmail.com

Sobre Todas as Coisas disse...

Adorei este poema Regina.
Virei seu fã. Abraços.

SONIA DA ROCHA LIMA disse...

Afff!!!Que veracidade!!!
Linda poesia,escrita de forma tão leve com uma mensagem tão pesada.
Parabéns!